A síndrome de Burnout (do inglês “to burn out” significa “esgotar-se”) é um problema de saúde que acomete profissionais da saúde de qualquer especialidade e é caracterizada por exaustão emocional, despersonalização e uma perceptível falta de envolvimento pessoal que leva a uma marcante ineficiência profissional. A síndrome é o maior determinante para a satisfação do médico com a sua carreira e o principal fator influenciador de aposentadorias precoces. As consequências desse fenômeno são atendimento: sub-ótimo e baixa satisfação dos pacientes, aumento da incidência de erros e de processos médico-legais.

Apesar de acometer qualquer profissional da área de saúde, o Burnout tem elevada incidência entre cirurgiões americanos, bem como entre cirurgiões plásticos em todo o mundo. Os principais fatores de risco para o fenômeno são carga horária de trabalho maior que 70 horas semanais, exercer a sub-especialidade de microcirurgias ou cirurgia estética, plantão noturno, baixa remuneração, realização pessoal associada apenas à renda. Curiosamente, o maior fator de risco observado é o fato de os médicos serem casados e seus cônjuges trabalharem fora de casa. Por outro lado, ter filhos e mais de 60 anos estão associados a baixo risco de Burnout.

A Tempo Cirurgia Plástica, há alguns anos, identificando esses fatores de risco e pensando no crescimento a longo prazo, implementou algumas importantes ações gerenciais e de governança:

• Prevenção de acúmulo de funções: o cirurgião não deve ser ao mesmo tempo responsável clínico, gestor, diretor e empreendedor. Esse erro é frequentemente observado entre cirurgiões plásticos e tem como consequência imediata a elevada carga de trabalho. A gestão da empresa deve feita por profissional na área das ciências gerenciais.

• Priorização sempre do trabalho estratégico antes do trabalho braçal; eficiência é fundamental.

• Meritocracia: planos de carreira e remuneração variável que premiam o bom desempenho e o mérito individual, bem como o atendimento de metas globais da empresa mantêm a equipe unida e estimulada. Esta regra vale para todos da empresa.

E-book Cirurgias do contorno corporal

• Gestão de nível internacional mantém a empresa no rumo certo, minimizando erros e diminuindo o estresse.

A Tempo Cirurgia Plástica investem recursos e conhecimento em gestão de pessoas a fim de melhorar as condições de trabalho de sua equipe médica e de enfermagem, bem como de toda a equipe gerencial e operacional a fim de prevenir situações de extremo estresse e, assim, manter alto padrão de qualidade no atendimento aos seus pacientes, baixos índices de complicações e alta satisfação de seus clientes.

Referência:

1 – Burnout Phenomenon in US Plastic Surgeons: Risk Factors and Impact on Quality of Life [Article] Qureshi, Hannan A BA 1; Rawlani, Roshni 1; Mioton, Lauren M MD 1; Dumanian, Gregory A MD 1; Kim, John YS MD 1; Rawlani, Vinay MD 1 (1)Division of Plastic and Reconstructive Surgery, Northwestern University, Chicago, Illinois, Feinberg School of Medicine Plastic & Reconstructive Surgery. Publish Ahead of Print, POST ACCEPTANCE, 29 October 2014.