Mama tuberosa é uma alteração anatômica das mamas caracterizada por graus variados dos seguintes elementos: anel constritor que hernia o complexo aréolo-mamilar tornando-o aumentado e protuberante; base mamária estreita; hipoplasia glandular.

É importante que o paciente saiba que não se trata de uma doença e que as alterações anatômicas podem ser tratadas com diversas técnicas de mamoplastia. Este artigo apresenta o trabalho original¹ do Dr. Liacyr Ribeiro, grande cirurgião plástico brasileiro que muito contribuiu no desenvolvimento de inúmeras técnicas cirúrgicas.

O tratamento pode ser fito com ou sem o uso de implantes de silicone e o paciente deve ser alertado para alguns pontos importantes:

• As mamas tuberosas são, em sua maioria, assimétricas e raramente obtém-se simetria absoluta em uma mamoplastia.
• Por entrar no grupo das mastopexias, existe uma importante restrição na escolha do tamanho da prótese de silicone. Esta escolha deve ficar a cargo do cirurgião. Saiba mais sobre mastopexia clicando aqui.
• O tratamento cirúrgico das mamas tuberosas é muito complexo e deve ser realizado por cirurgião plástico devidamente treinado.

E-book O Guia das cirurgias das mamas

As pacientes portadoras de mama tuberosa devem receber especial atenção e carinho uma vez que frequentemente têm sua autoestima abalada, especialmente na adolescência e devem sempre ser muito bem preparadas para a cirurgia, a fim de que tenham expectativas realistas quanto ao tratamento. Ao mesmo tempo devem ser gratificadas com a informação de que seu caso tem tratamento.

A Tempo Cirurgia Plástica tem como compromisso melhorar a autoestima e qualidade de vida das pessoas, priorizando a segurança, esmero e carinho no tratamento de seus pacientes.

Referência bibliográfica:

1 – Tuberous breast: a new approach. Ribeiro L, Canzi W, Buss A Jr, Accorsi A Jr.Plast Reconstr Surg. 1998 Jan;101(1):42-50; discussion 51-2.