O Facelift (Ritidoplastia ou cirurgia de rejuvenescimento facial) representa cerca de 10% de todas a cirurgias realizadas pela equipe Tempo Cirurgia Plástica e a demanda por esse tipo de cirurgia tem aumentado muito nos últimos anos tornando-se a quinta cirurgia estética mais popular nos Estados Unidos¹.

Como em todo procedimento cirúrgico, a segurança é a prioridade número um e, especialmente no caso do Facelift, cuidados com a prevenção de hematomas (sangramento ativo após a cirurgia) tem especial destaque uma vez que essa continua sendo a principal complicação cirúrgica nas Ritidoplastias.

A prevenção de hematomas inicia-se no preparo do paciente, continua durante a operação e termina ao longo dos cuidados pós-operatórios.

Ela baseia-se nos seguintes pilares:
• Controle da pressão sanguínea.
• Controle da ansiedade antes e depois da cirurgia.
• Controle da dor.
• Prevenção de náuseas e vômitos.

Segue abaixo síntese do protocolo do Department of Plastic Surgery, University of Texas Southwestern Medical Center, publicado por Smita e cols. na revista Plastic and Reconstructive Surgery • March 2015:

Fig. 1. Nausea and vomiting algorithm.

Fig. 2. Hypertension algorithm. HTN, hypertension; BP, blood pressure; PRN, as needed.

Fig. 2. Hypertension algorithm. HTN, hypertension; BP, blood pressure; PRN, as needed.

Curioso notar que este protocolo contra-indica o uso de heparina profilática para a prevenção de trombose venosa em pacientes submetidos a Facelift.
A Tempo Cirurgia Plástica procura manter-se atualizada cientificamente para oferecer o que há de mais moderno e eficiente nos cuidados de seus pacientes.

Referência bibliográfica:
1 - Plast Reconstr Surg. 2015 Mar;135(3):723-30. doi: 10.1097/PRS.0000000000000966.
Refining the anesthesia management of the face-lift patient: lessons learned from 1089 consecutive face lifts.
Ramanadham SR1, Costa CR, Narasimhan K, Coleman JE, Rohrich RJ.