Tradicionalmente consideram-se alguns fatores como responsáveis por uma baixa qualidade na cicatriz como diabetes mellitus, uso de corticites, infecção, presença de doença vascular periférica, radioterapia, desnutrição e tabaco. A grande maioria dos pacientes submetidos a cirurgia plástica não são portadores dessas comorbidades mas frequentemente opera-se pacientes acima de 60 anos e não raramente há a indagação se a idade pode ser um fator de risco para a qualidade da cicatriz.

Em uma ampla revisão da literatura sobre o assunto publicada por Karamanos e cols. pela Henry Ford Hospital/Wayne State University¹, pacientes foram avaliados quanto à incidência de deiscência (abertura dos pontos cirúrgicos) e analisados sob o ponto de vista da estratificação etária.

Este estudo conclui que, excluindo-se os demais fatores de risco, a idade, como único fator avaliado, não aumenta o risco para uma má cicatrização.

E-book Cirurgias do contorno corporal

No universo da cirurgia plástica estética, fatores como a seleção e o preparo do paciente, técnica cirúrgica apropriada (sutura sem tensão, delicadeza na manipulação dos tecidos, esmero e equipe especializada em acabamento) e cuidados pós operatórios rigorosos são os fatores determinantes para uma boa qualidade da ferida operatória.

Referência bibliográfica:

1 - Wound Healing in Plastic Surgery: Does Age Matter? An ACS NSQIP Study. Karamanos E, Osgood G, Siddiqui A, Rubinfeld I. Plast Reconstr Surg. 2014 Nov 20.