Na primeira parte do texto sobre os mitos da cirurgia da mamoplastia de aumento, foram esclarecidas diversas questões, como o tamanho da prótese de silicone, posicionamento do implante e técnicas utilizadas no procedimento. Agora, chegou o momento de esclarecer mais 5 mitos e ainda mostrar os resultados reais da cirurgia. Acompanhe:

Mito 6: Nos últimos 20 anos realmente avançamos nas técnicas utilizadas na mamoplastia de aumento.

Na verdade, nos últimos anos, os avanços na mamoplastia de aumento estão relacionados principalmente à qualidade dos implantes. As técnicas cirúrgicas pouco mudaram.

Mito 7: O formato da prótese de silicone não importa.

A escolha do formato do implante deve ser baseada no desejo da paciente e na avaliação das características das mamas na consulta médica. Próteses redondas geram um polo superior mais evidente e côncavo; isso, apesar de não ser a forma natural das mamas, é o que agrada a maior parte das pacientes. Por outro lado, implantes com forma anatômica oferecem uma transição mais suave entre o polo superior e o polo inferior; essa seria uma boa opção para pacientes que buscam resultados mais naturais e discretos. Leia o artigo Qual o formato ideal das mamas.

Mito 8: Por ser uma cirurgia tecnicamente fácil, a experiência do cirurgião não importa.

Há uma grande diferença entre implantar uma prótese de silicone em uma paciente e torná-la mais bonita. Nesse sentido, experiência conta, e muito. Como em qualquer cirurgia, na mamoplastia de aumento, o cirurgião passa por uma curva de aprendizado que pode ser “acelerada” ou “retardada” dependendo de sua formação profissional, dos seus estudos e do número de cirurgia anuais.

E-book O Guia das cirurgias das mamas

 

Mito 9: As raras intercorrências pós-operatórias são relacionadas ao implante mamário e estão fora do controle do cirurgião.

Vários fatores como avaliação do paciente e planejamento cirúrgico, técnica cirúrgica, posição e volume do implante, sangramento durante e após a operação ou contaminação da loja da prótese podem influenciar na incidência de estrias, contratura capsular, extrusão do implante e pose (queda) das mamas.

Mito 10: O silicone eleva as mamas.

Esse é o mito mais comum. É importante que as pacientes saibam que as próteses de silicone não são um dispositivo antigravitacional. Pelo contrário, quanto maior os implantes, maiores as chances de as mamas caírem ao longo do tempo. Os implantes não elevam os mamilos, mas podem dar a ilusão de que as mamas estão mais altas, pois as próteses de silicone, especialmente as redondas, aumentam o polo superior das mamas. Nunca é exagero repetir, portanto, que o silicone não eleva as mamas. Mamas caídas devem ser tratadas com mastopexia. Leia o texto “Mastopexia (levantar as mamas)”.

Segurança, esmero e carinho são prioridades presentes não somente na cirurgia de implante de silicone, mas em qualquer procedimento realizado na Tempo Cirurgia Plástica.  Conheça o nosso corpo clínico.

Referências

1 – The greatest myths in breast augmentation. Tebbetts, John B. Plastic Reconstructive Surgery. 2001, Vol 107 (7), p. 1895-1903.