Presente principalmente no sal de cozinha, o sódio é um mineral que, na medida certa, é fundamental para controlar os líquidos das células e do sangue. O perigo é presente quando essa substância é ingerida em excesso, o que não é muito difícil, já que, devido ao seu poder de conservação, é encontrado na maioria dos produtos industrializados.

Para se ter uma ideia, a quantidade máxima de sódio a ser consumida por dia gira em torno de 2.000 mg (ou 2 g). Somente um simples prato de macarrão instantâneo possui cerca de 1.737 mg da substância, quase toda a quantidade diária permitida. No queijo parmesão a quantidade é ainda maior, por volta de 1.981 mg em cada 100 g do alimento.

A quantidade de malefícios causados pelo excesso do sódio é extensa:

- O corpo passa a reter mais líquido do que o normal, dando lugar aos quilos extras. E como é muito frequente a associação do sódio a alimentos muito calóricos, a obesidade também pode ser um problema enfrentado.

- Com o corpo retendo mais água, o organismo passa a aumentar o fluxo de sangue enviado para os tecidos, resultando em artérias e veias dilatadas. Esse quadro contribui para o aumento da pressão arterial.

- Como um efeito dominó, o aumento da pressão arterial, explicada anteriormente, força o coração a trabalhar mais para bombear o excesso de sangue. Isso é uma das principais causas de problemas cardíacos no futuro.

- O sódio em excesso também influencia na perda de cálcio dos ossos, ocasionando a osteoporose.

- O alto teor de sódio eliminado pela urina pode prejudicar o sistema renal, levando à formação de cristais.

A melhor saída para não sofrer com os malefícios do excesso de sódio está na informação: fique atento aos rótulos das embalagens dos produtos, principalmente daqueles que se vendem como saudáveis nas gôndolas dos supermercados. Já na cozinha, que tal trocar o sal e os molhos industrializados por temperos naturais e caseiros? Experimente pimenta, sálvia, manjericão e salsinha.