Na maioria das vezes, sim! O umbigo, na abdominoplastia, bem como a aréola na mamoplastia, representa a etapa cirúrgica mais importante do ponto de vista estético. Consideramos o umbigo a alma do abdômen e a aréola, a alma da mama.

O paciente deve ter expectativas realistas e estar ciente de que:

- Não é possível refazer um umbigo idêntico ao original daquela pessoa, antes da gestação. Mas, frequentemente, fica melhor do que antes da operação.

- Pacientes magras não terão umbigos profundos.

- Os cuidados pós-operatórios são fundamentais para a obtenção de um bom resultado.

Alguns conceitos técnicos são muito importantes para se obter bons resultados na umbilicoplastia:

- O umbigo deve ser marcado a uma distância mínima de 8 cm (preferencialmente 10 cm) da cicatriz inferior da abdominoplastia.

- O umbigo deve ser desenhado nem muito grande, nem muito pequeno, levando-se  sempre em consideração que toda cicatriz sofre retração ao longo do tempo, o que provoca a redução do tamanho do umbigo. O diâmetro de uma polpa digital é uma boa referência na maioria dos casos.

- O desenho do retalho abdominal deve, preferencialmente, gerar uma cicatriz quebrada, não linear, a fim de se prevenir a estenose do umbigo, mais comum em técnicas de umbigos redondos.

- A sutura do novo umbigo deve ser realizada sem tensão. Portanto, a fixação do coto umbilical na aponeurose deve ser realizada com cautela.

E-book Cirurgias do contorno corporal

- O uso de extensores umbilicais de silicone ou no formato de pérolas ajuda na obtenção de formas agradáveis e cicatrizes de boa qualidade.

Em BH, a Tempo Cirurgia Plástica é especialista em abdominoplastia. Se tiver alguma dúvida, envie para a nossa equipe médica.