A mamoplastia de aumento é uma das cirurgias plásticas com maior incidência de satisfação e menor incidência de complicações. No entanto, uma queixa relativamente frequente das pacientes refere-se ao volume das mamas meses após a cirurgia.

É relativamente frequente ouvir o seguinte relato das pacientes na avaliação médica, 12 meses após o aumento mamário:

“Estou muito feliz, mas acho que deveria ter escolhido uma prótese maior.”  

Por que esse tipo de queixa é frequente? Isso ocorre por 3 motivos principais:

- Plano cirúrgico inadequado:

Um plano cirúrgico detalhado, contendo as medidas das mamas antes da operação e as medidas do volume futuro simulado, é essencial para alcançar o sucesso na mamoplastia. A participação da paciente na escolha do seu implante também é muito importante (leia o texto “Satisfação da paciente após mamoplastia de aumento”).

 

- Desaparecimento do edema (inchaço):

Logo após a cirurgia, as mamas incham muito e o edema desaparece gradualmente entre 30 e 90 dias. Pacientes que não são preparadas para esse processo, acostumam-se com as mamas inchadas e ficam frustradas quando elas desincham.

E-book O Guia das cirurgias das mamas

- Atrofia da glândula mamária:

Pode haver atrofia da glândula mamária meses após mamoplastia de aumento. Estudos mostram que essa atrofia é mais intensa quando a prótese é posicionada na frente do músculo (retroglandular). Essa atrofia provoca a redução do volume das mamas meses depois da cirurgia, e é por isso que algumas pacientes se queixam que as mamas estão pequenas nas consultas de acompanhamento de longo prazo.

 

Vale ressaltar que o posicionamento retromuscular (atras do músculo) não é a melhor opção para todas as pacientes. Algumas pacientes se beneficiam mais com o implante de silicone na frente do músculo e outras obtêm melhor resultado com a posição retromuscular.

Ressaltando, um bom plano cirúrgico e uma orientação pré-operatória detalhada podem aumentar significativamente a satisfação das pacientes submetidas à mamoplastia de aumento.

 

Referência bibliográfica:

1 – Plast Reconstr Surg. 2016 Jan; 137 (1): 62-9. doi: 10.1097/PRS.0000000000001874.

Volumetric Evaluation of the Mammary Gland and Pectoralis Major Muscle following Subglandular and Submuscular Breast Augmentation.

Weck Roxo AC1, Nahas FX, Salin R, de Castro CC, Aboudib JH, Marques RG.