A abdominoplastia é a cirurgia que tem o objetivo de retirar o excesso de pele do abdômen e é indicada, normalmente, para quem passou por grandes alterações de peso, como obesidade e gravidez.

Embora a abdominoplastia clássica seja a técnica mais conhecida pelos pacientes, existe também a lipoabdominoplastia, a minilipoabdominoplastia e abdominoplastia em âncora. A escolha da técnica ideal varia de paciente para paciente e é preciso observar os seguintes aspectos:

1. A necessidade de lipoaspiração, ou seja, se há acúmulo de gordura no subcutâneo.

2.  A presença de flacidez de pele acima da cicatriz umbilical.

3.  A presença de flacidez de pele no sentido lateral do abdômen.

4.  A presença de cicatriz na linha média do abdômen.

Pacientes que apresentam flacidez acima da cicatriz umbilical e não apresentam excesso de gordura são candidatos a realizar abdominoplastia clássica. Caso haja gordura localizada, são candidatos à lipoabdominoplastia.

Os pacientes  que possuem flacidez de pele predominantemente abaixo da cicatriz umbilical se beneficiarão mais da minilipoabdominoplastia.

E-book Cirurgias do contorno corporal

A abdominoplastia em âncora, também conhecida como flor-de-lis, é indicada para aqueles que tiveram uma perda de peso maior, resultando em grande flacidez no sentido lateral do abdômen. Pacientes que já possuem uma cicatriz vertical acima do umbigo, proveniente de cirurgia bariátrica, por exemplo, também podem realizar a abdominoplastia em âncora.

É importante ressaltar que a escolha da modalidade cirúrgica depende do exame físico adequado do paciente. Esse planejamento deve ser bem feito, buscando a satisfação do paciente no pós-operatório.