Não é novidade que o sol em excesso pode prejudicar a pele, levando ao envelhecimento precoce.  Mas você sabia que os danos causados pela radiação solar podem ser minimizados com os fotoprotetores orais? Entenda mais sobre o assunto:

O que são fotoprotetores orais?

Os fotoprotetores orais são substâncias que, quando ingeridas, podem minimizar os danos causados pela radiação solar na nossa pele. Assim, esses compostos auxiliam no rejuvenescimento cutâneo e também no tratamento das manchas, como o melasma.
Do que são feitos?

As principais substâncias são a vitamina C: tocoferóis, carotenoides, astaxantinas, licopeno, luteína e polifenóis como, por exemplo, o resveratrol. A maioria desses compostos são encontrados nos alimentos em geral, porém, em casos específicos, como de pacientes com melasma, podem ser prescritos pelo  dermatologista, de forma a complementar no tratamento.

Como agem?

O mecanismo de ação é variável e não completamente compreendido. Mas sabe-se que essas substâncias possuem ação antioxidante, anti-inflamatória e imunomoduladora.

Os fotoprotetores orais substituem o protetor solar?

Não. É importante ressaltar que os fotoprotetores orais não conseguem impedir a penetração da radiação solar na pele, mas agem de forma a complementar ao uso dos protetores solares. Então, a ingestão deve ser sempre associada ao uso do filtro solar, que deve ser reaplicado com frequência.

Por Dra. Letícia Pires – Dermatologista
CRM: MG 46531 – Nº RQE: 27284.