Para entender o processo de cicatrização, primeiro é necessário que se entenda o conceito de cicatriz: “um tecido fibroso, com características de espessura, cor e elasticidade diferentes do tecido sadio”. Assim, compreendemos que, após a cirurgia, quando o tecido sadio sofre impacto, a cicatriz sempre estará presente. O que o cirurgião plástico busca é que ela tenha o melhor aspecto possível, fique bem localizada e que, com o decorrer do tempo, fique quase imperceptível.

Fases:
1- Inflamatória: após o trauma
2- Epitelização: 24h a 48h
3- Fibroplasia: do terceiro, quarto dia até em torno de cinco semanas
4- Maturação: até em torno de um ano

Essas fases da cicatrização devem ser conhecidas para o adequado acompanhamento pós-cirúrgico. É esperado, por exemplo, que a cicatriz fique avermelhada e até mesmo endurecida nas fases iniciais. Somente a partir do sexto mês é que o aspecto da cicatriz começa a melhorar. Algumas demoram de um a dois anos para atingir o resultado final.

Por isso, na Tempo Cirurgia Plástica, optamos por retornos semanais até o paciente completar um mês, para posteriormente, marcarmos retornos com 2, 3, 6 meses e 1 ano. O acompanhamento frequente permite que o cirurgião perceba a tendência para uma cicatrização de pior qualidade e, com isso, tome as medidas necessárias, como uso de medicamentos adequados, de órteses de silicone, infiltração de corticoide, laser ou mesmo um retoque da cicatriz da cirurgia plástica.

E-book Cirurgias do contorno corporal

Alguns fatores que interferem na cicatrização são: genética, qualidade dos pontos, tensão na cicatriz, nutrição, infecção, oxigenação, tabagismo, diabetes, quimioterapia, uso de esteroides e irradiação. No entanto, o paciente deve saber que sempre existirá o risco de uma cicatriz inestética, mas o seu cirurgião plástico está sempre pronto para realizar o tratamento dessa cicatriz e se empenhará ao máximo para que ela atinja a melhor qualidade possível.