Os preenchimentos crescem em popularidade, muito por rejuvenescer e por melhorar as proporções da face, já que são tratamentos com ótimos resultados e rápida recuperação. Entretanto, apesar de muito raras, as complicações podem ser ainda mais impressionantes que os resultados estéticos. Entre as complicações mais sérias, estão as necroses da pele e até mesmo a cegueira.

Se feito com profissionais especializados em rejuvenescimento facial, o preenchimento é um procedimento bastante seguro. Por isso, a escolha do médico deve ser feito a dedo. Neste texto, você vai saber mais sobre todos os cuidados realizados pela Tempo Cirurgia Plástica para que o paciente, além de ter ótimos resultados, tenha sua segurança e saúde sempre em primeiro lugar.

Glabela e supercílios

A região da glabela é a de maior risco de necrose de tecidos e cegueira. É preciso evitar a realização de preenchimentos nessa região, pois os vasos sanguíneos aí localizados comunicam-se com vasos oftálmicos e, por isso, existe o risco de haver propagação do preenchedor por esses vasos, obstruindo-os e provocando a perda da visão. Caso o cirurgião e o paciente optem por realizar o preenchimento nessa região, deve-se utilizar ácido hialurônico de baixo peso molecular, intradérmico e simultaneamente manter a compressão das margens superiores das órbitas.

Região temporal

Os vasos temporais superficiais são responsáveis pela irrigação da região temporal e se comunicam com os vasos supraorbitais, representando possível trajeto de embolização oftálmica. Outra área de atenção é o trajeto da veia temporal média, que se localiza 20mm acima e paralela ao arco zigomático. Esse vaso se comunica com o sistema cavernoso e pode ser, teoricamente, um trajeto para embolização dos vasos pulmonares.

A região temporal deve ser preenchida profundamente (justaperiosteal) ou superficialmente (subcutâneo), evitando os planos intermediários. Deve-se manter a pressão digital na área localizada, 2,5mm lateral e 3,0mm superior ao pico do supercílio, bem como anteriormente ao tragus.
Região infraorbital

Os vasos infraorbitais representam outra possível comunicação com os vasos oftálmicos e, consequentemente, também podem ocasionar a perda da visão. Ao fazer o preenchimento nessa área, deve-se ter em mente a localização do forame infraorbital, localizado cerca de 1cm abaixo da margem inferior da órbita e alinhado com o primeiro dente pré-molar.

Ao preencher profundamente a região infraorbital, deve-se aplicar o preenchedor lateralmente ao forame infraorbital e evitar preencher a região próxima ao canto medial dos olhos. Caso essa área necessite de preenchimento, deve-se aplicar lateralmente e manipular o produto no sentido medial.

Lábios

Os vasos que irrigam os lábios se posicionam entre a mucosa e o músculo orbicular dos lábios. Por isso, tanto o preenchimento para definir as margens dos lábios quanto o preenchimentos para aumentar sua espessura devem ser realizados superficialmente. Isso também vale para o tratamento das comissuras labiais.

Sulco nasolabial

A artéria facial acompanha todo o trajeto do sulco nasolabial e, por isso, representa risco de necrose na região do terço médio da face, lábio e nariz. Os vasos localizam-se profundamente nos 2/3 inferiores do sulco e superficialmente no 1/3 superior. Ao preencher essa importante unidade estética, deve-se aplicar superficialmente o preenchimento nos 2/3 inferiores e profundamente no 1/3 superior. Não é recomendado injetar superficialmente no subcutâneo no 1/3 superior do sulco nasolabial sob o risco de provocar necrose de pele na região das bochechas e da asa do nariz.

Nariz

A irrigação vascular do nariz é complexa e delicada. Ela conecta-se com vasos oftálmicos e é, em sua grande parte, frágil e superficial.

Deve-se preencher o nariz sempre profundamente, com muita delicadeza e sem aplicar muita pressão. O preenchimento não deve ser aplicado próximo à asa do nariz, também sob o risco de provocar necrose na região.

É possível perceber que a principal preocupação relacionada aos preenchimentos faciais é a injeção por falta de conhecimento em vasos sanguíneos, levando à obstrução vascular e suas consequências. Além de entender profundamente a anatomia dos vasos faciais, o profissional especializado pode minimizar o risco de complicações utilizando microcânulas no lugar de agulhas. As microcânulas têm ponta romba e dificilmente penetram vasos sanguíneos.

Se você tem alguma dúvida, o Dr. Thiago Degani é especialista em rejuvenescimento facial e está disponível para atender você. É só enviar a sua mensagem no nosso site ou pelo nosso Facebook.

Bibliografia

Plast Reconstr Surg. 2017 Jan;139(1):50e-58e. doi: 10.1097/PRS.0000000000002913.
Anatomy of the Facial Danger Zones: Maximizing Safety during Soft-Tissue Filler Injections. Scheuer JF 3rd1, Sieber DA, Pezeshk RA, Campbell CF, Gassman AA, Rohrich RJ.