A massagem modeladora é um tipo de massagem realizada com movimentos firmes, vigorosos e rápidos com o intuito de atingir as camadas mais profundas da pele. Quem realiza o tratamento pode contar com a melhoria da circulação e do metabolismo local, ajudando no aspecto da pele e combatendo a celulite.

Também conhecida como massagem redutora, esse não é um nome tão adequado para a técnica que, sem associação de dieta saudável e atividade física, não emagrece. É possível sim reduzir medidas, mas a massagem sozinha não consegue eliminar ou quebrar as gorduras.

 A técnica utiliza movimentos de amassamento, deslizamento, pinçamento e percussão e pode ser feita de forma manual ou com auxílio de alguns acessórios, como rolos, bambus, ventosas, luvas, bolinhas e outros.

 Por alcançar regiões mais profundas da pele e com fibroses que podem estar inflamadas (celulites), a massagem pode ser um pouco dolorida. Mas deve-se respeitar a sensibilidade de cada paciente. Hematomas não devem aparecer após a realização da massagem por ser um indicativo de agressão à integridade da pele, mostrando que a técnica não foi aplicada corretamente. A massagem modeladora visa à melhora do aspecto da pele e sua integridade, não o contrário.

Áreas com grandes acúmulos de gordura, como abdômen, flancos, costas, culotes, coxas, glúteos e braços são as mais indicadas para receber a massagem redutora. A frequência recomendada é de uma a duas sessões por semana, sendo possível notar resultados já na primeira sessão, porém, para um resultado mais significativo e duradouro, é necessário mais sessões.

Antes de optar pela massagem modeladora, é preciso tomar alguns cuidados: a massagem não é indicada para pacientes hipertensos, cardiopatas e gestantes, além de ser muito importante que seja feita por um profissional capacitado e treinado, como o fisioterapeuta dermatofuncional. Fique atento!