O escurecimento da pele ao redor dos olhos está relacionado a diversos fatores.Por isso, nem toda olheira é igual à outra e nem sempre serão tratadas da mesma forma.

Alguns tipos de olheiras podem ser causadas por herança genética de penetrância variável, isso quer dizer que algumas pessoas da mesma família podem ter ou não o problema e também em intensidades diferentes. Pessoas alérgicas, que sofrem de rinite, asma, dermatite atópica ou dermatite alérgica de contato, podem apresentar pigmentação ao redor das pálpebras. O hábito de coçar os olhos pode contribuir para o escurecimento.

Outro motivo observado em muitos tipos de olheiras é o componente vascular. Pequenos vasos sanguíneos de coloração arroxeada ficam evidentes ao tracionarmos a pele da pálpebra. No caso da pele fina e clara, esses vasos ficam mais visíveis por transparência da pele e mais exacerbados quando há desidratação, doenças agudas, privação de sono e stress. Por isso, uma boa noite de sono e uma compressa gelada podem amenizar esse tipo de olheira, mesmo que temporariamente.

A flacidez da pálpebra associada a uma pele mais fina com perda de colágeno e tecido gorduroso subcutâneo leva a formação de rugas e sombras na região orbital inferior. Além disso, alguns indivíduos podem ter uma sombra na pálpebra inferior secundária a configuração mais profunda do osso orbital ou mesmo por reabsorção óssea e de gordura na região malar, processo normal de acontecer no envelhecimento intrínseco.

Aquelas bolsas visíveis embaixo dos olhos podem piorar ao acordar e são consequência de frouxidão do septo orbital. Com isso, a bolsa de gordura presente nesse local fica ressaltada para fora e pode gerar um sombreamento logo abaixo delas, o que dá um ar cansado ao rosto.

Agora que você já entendeu sobre os diversos tipos de olheiras, em breve iremos abordar o tratamento mais indicado para cada um dos casos citados.

Acompanhe a gente e não perca os próximos conteúdos!